O ano novo tinha acabado de começar quando apareceram as primeiras reclamações de moradores do Rio de Janeiro a respeito da qualidade da água. Os relatos de sabor de terra e alterações na coloração da água, em primeiro momento concentrados nas zonas Oeste e Norte, se espalharam rapidamente e levaram a cidade à uma crise hídrica que já se encaminha para o segundo mês. 

Com isso, a rotina dos moradores mudou e a busca por água mineral nos estabelecimentos se intensificou tanto que alguns lugares tiveram estoques zerados e precisaram limitar a quantidade de embalagens por cliente. De acordo com a Associação dos Supermercados do Rio, o aumento nas vendas de água foi de 150% somente no mês de janeiro.

Esse efeito em cascata da crise impactou na quantidade de garrafas plásticas sendo jogadas no lixo. Tanto plástico em circulação acende o alerta sobre os riscos que todo esse volume de resíduo pode gerar ao meio ambiente e da importância de dar um destino correto às embalagens. 

O ideal é que resíduos plásticos sejam reciclados e a Orla Rio, que se posiciona alinhada à sustentabilidade, pode ajudar nessa missão. O projeto Recicla Orla, em parceria com a Startup de sustentabilidade Pólen, garante um destino adequado ao lixo através de pontos de entrega voluntária em toda orla do Rio de Janeiro.

Greyciane Silva, de 23 anos, é recepcionista de um hotel próximo à um dos pontos de coleta do Recicla Orla no quiosque La Carioca, no Leblon e elogia a iniciativa.

“Eu sou a favor dessa iniciativa de reciclagem, de ter por perto locais onde a gente sabe que o lixo vai ser transformado. É importante para a gente, pois a praia fica limpa, e mais importante ainda para o meio ambiente e para as gerações futuras”, afirma. 

Atualmente as caçambas do projeto estão instaladas em seis pontos e tanto os frequentadores da praia, quanto os quiosques e moradores da região tem uma opção sustentável para descartar as garrafinhas PET – e outros resíduos como vidro,  papel e latas – após os consumo. Todo material coletado é reciclado e volta para o ciclo de produção.

O Diretor de Sustentabilidade da Orla Rio, Rodrigo Abreu comenta a importância da conscientização das pessoas sobre o descarte correto das garrafas PET, sobretudo nesse período que antecede as festas de carnaval. Além de afetar o mar e vegetação nativa, o descarte inadequado gera problemas para a cidade como entupimento de bueiros e enchentes. 

Carnaval pode ser um agravante

Às vésperas do carnaval, a preocupação com o descarte acaba sendo maior, a quantidade de pessoas espalhadas em blocos por toda cidade aumenta consideravelmente a produção de lixo. No último final de semana de pré-carnaval A Comlurb recolheu 34,4 toneladas de resíduos em cerca de 90 blocos. 

Sem melhora na situação hídrica da Cedae e prevendo os desdobramentos do Carnaval, a Comlurb ressalta que se tratando de garrafas PETs os materiais são recicláveis e portanto devem ser entregues à coleta seletiva. Por isso, se estiver nos bloquinhos que desfilam pela praia, colabore com o meio ambiente e opte pelo descarte correto do seu lixo em um dos pontos de coleta do Recicla Orla.

Confira os quiosques com ponto de coleta do Recicla Orla:

Marea – Av. Vieira Souto, em frente à Rua Rainha Elizabeth, Ipanema;
La Carioca – Av. Delfim Moreira, em frente à Av. Borges de Medeiros, Leblon;
Azur – Av. Delfim Moreira, em frente à Av. Afrânio de Mello Franco, Leblon;
Varanda – Av. Delfim Moreira, em frente à Rua José Linhares, Leblon;
Du Leblon – Av. Delfim Moreira, em frente à Av. Bartolomeu Mitre, Leblon;
Caneco 70 – Av. Delfim Moreira, em frente à Av. Bartolomeu Mitre, Leblon. 

Deixe um comentário

AIzaSyA5tPbYDErzSozNDJ4r7vcHSXTfKEz1oWc