A pandemia obrigou o mundo a parar. Nos últimos meses, atividades não essenciais foram suspensas, fronteiras interditadas, comércios e pontos turísticos fechados, voos cancelados e milhares de pessoas foram isoladas em suas casas para evitar a contaminação em massa.

A tendência agora é que passada a quarentena, o retorno gradual das atividades configure uma nova forma de vida cotidiana, com regras e adaptações, até que se tenha uma vacina eficaz contra o vírus. Na Europa, os países já estão ensaiando o chamado “novo normal” e uma série de medidas estão sendo tomadas para liberar o acesso das pessoas aos espaços públicos.

Com a proximidade do verão europeu, de julho a setembro, ações envolvendo o retorno seguro às praias tem sido o destaque desse novo momento. A Itália, que já foi o epicentro da doença no mundo, está em processo de flexibilização do isolamento e adotou diretrizes específicas para receber banhistas nas regiões litorâneas.

Nas praias italianas, esportes coletivos seguem proibidos. A ocupação na areia também será controlada com espaço obrigatório de cinco metros entre as fileiras de guarda-sóis e de quatro metros e meio entre os guarda-sóis da mesma fileira. Para cadeiras e espreguiçadeiras, a distância mínima recomendada é de dois metros, mas apenas entre grupos que ocupam guarda-sóis diferentes. As autoridades preveem inclusive o uso de fitas na areia para garantir a distância entre as pessoas e mapear a ocupação das praias.

O Projeto Recomeço, desenvolvido pela Orla Rio, tem como objetivo estruturar a Orla para que seja seguro retornar, assim que for permitido. Por isso estamos analisando o que tem sido feito ao redor do mundo no processo de preparação e reabertura das praias. Entendemos que o momento ainda pede cautela, mas já nos adiantamos na busca de soluções técnicas para fazer das praias do Rio de Janeiro uma referência.

Com o projeto ainda em fase inicial, o foco tem sido na orientação e na elaboração de protocolos que vão ajudar na transformação de hábitos para este futuro próximo. O plano de ação terá como base em um estudo feito com os 309 quiosques administrados pela Orla Rio, que recomenda mudanças estruturais e funcionais nos estabelecimentos visando a preservação da saúde de colaboradores e clientes. Uma pesquisa online também está sendo feita para avaliar  a percepção dos operadores em relação aos riscos e ameaças representadas pelo novo coronavírus à saúde e ao seu negócio. 

Para o retorno às praias, o Projeto Recomeço prevê, entre outras ações, a instalação de placas de sinalização com orientações sobre o distanciamento social na orla, cardápios digitalizados, álcool em gel e pias portáteis com acionamento pelos pés nos quiosques, para uso de clientes e funcionários. Além disso, os 27 postos de salvamentos, do Leme ao Pontal, que também são administrados pela Orla Rio, ficarão disponíveis para que as pessoas possam lavar as mãos. Os postos também funcionarão como pontos de informação durante o novo normal carioca, com promotores passando orientações e cuidados. 

 

Confira outras informações sobre o Projeto Recomeço, da Orla Rio.  😉

Deixe um comentário

AIzaSyA5tPbYDErzSozNDJ4r7vcHSXTfKEz1oWc