Pensar em praia no Rio de Janeiro é lembrar logo da Princesinha do Mar, da badalação de Ipanema, da energia do Leblon, da extensa Barra da Tijuca, da tranquilidade da Reserva e até das mais isoladas Prainha e Grumari. Em uma cidade tão rica em natureza não poderia ser diferente, são muitas opções para curtir o mar!

A maioria das praias conhecidas no Rio são urbanas, mas, para quem se aventura a explorar ainda mais o litoral carioca uma descoberta: as praias selvagens. Afastadas dos grandes centros, sem quiosques ou qualquer tipo de comércio e com acesso feito exclusivamente por trilhas ou barco, essas praias “escondidas” encantam cada vez mais visitantes. 

O circuito das praias selvagens fica na Zona Oeste do Rio, composto por cinco praias, ligadas entre si, acessadas por uma trilha cujo o ponto de partida fica em Barra de Guaratiba. A caminhada é de nível moderado, mas, para quem não conhece a região, a recomendação é explorar esse paraíso quase secreto na companhia de um guia experiente. E, acredite, a beleza preservada do local compensa todo cansaço do percurso. 

Praia dos Búzios

Também conhecida como praia das conchas, é uma pequena faixa de areia coberta por pedras, o que exige atenção dos banhistas. Fica logo abaixo da Pedra da Tartaruga, famoso point para prática de rapel. Cercada por montanhas, a praia é reservada e de mar normalmente calmo.

Foto: Vamos Trilhar

Praia do Perigoso 

A mais visitada de todas, fica ao lado da Pedra da Tartaruga. A faixa de areia é curta, com água clara e árvores no entorno. Uma lenda conta que um perigoso fugitivo da antiga prisão de Ilha Grande permaneceu na praia por muito tempo após a fuga, o que teria dado origem ao nome.

Foto: Riotur

Praia do Meio 

A maior das cinco praias, com quase 350m de extensão, fica entre a Praia do Perigoso e a Praia Funda. É onde fica a Pedra do Telégrafo. Para acessá-la, é preciso voltar à trilha principal e andar por 500 metros. Dependendo das condições do tempo, o mar pode ficar cristalino.

Foto: Vamos Trilhar

Praia Funda 

A praia mais deserta do circuito, junto com a Praia do Inferno, a área é localizada dentro de uma Área de Proteção Ambiental (APA). Água de um azul marcante, Mata Atlântica intocada ao fundo e conchas na areia. O acesso a partir da Praia do Meio começa a ficar mais fechado, com morros mais altos, que exigem um preparo físico melhor, assim, nem todos os visitantes chegam até as últimas praias.

Foto: Prefeitura do Rio de Janeiro

Praia do Inferno

Pequena faixa de areia, que fica no fim da trilha principal, por isso, a mais deserta das cinco. É cercada de pedras e mata fechada, com mar azul agitado. O sol não ilumina o dia todo e, por conta das ondas, às vezes pode ser complicado chegar de barco.

Foto: Fernando Oliveira

Deixe um comentário

AIzaSyA5tPbYDErzSozNDJ4r7vcHSXTfKEz1oWc