Imortalizados na orla: Millôr Fernandes

Continuando nosso passeio pela orla mais bonita e famosa do mundo, chegamos à Praia do Arpoador. Lá, encontramos uma homenagem a uma das maiores lendas do humor brasileiro. Hoje falaremos sobre Millôr Fernandes.

Millôr Fernandes

Millôr Fernandes (1923 – 2011) foi um desenhista, humorista, dramaturgo, escritor, poeta, tradutor e jornalista brasileiro. Conquistou notoriedade por suas colunas de humor em publicações como a revista Veja e os jornais O Pasquim e Jornal do Brasil.

Em seus trabalhos usava muito de ironia e sátira para criticar o poder e as forças dominantes, por isso, era alvo constante da censura. Dono de um estilo considerado singular, foi um dos pioneiros no teatro brasileiro, onde destacou-se tanto pela autoria quanto pela tradução de um grande número de peças.

Com passagem marcante pelos veículos impressos mais importantes do Brasil, Millôr é considerado uma das principais figuras da imprensa brasileira no século XX. Multifacetado, obteve sucesso de crítica e de público em todos os gêneros em que se aventurou, como em seus trabalhos de ilustração, tradução e dramaturgia.

Além do sucesso nas áreas literária e artística, orgulhava-se ainda de sua atuação desportiva, tendo sido um dos co-criadores de uma das modalidades esportivas favoritas do carioca: o frescobol.

Millôr Fernandes morreu em março de 2012, aos 88 anos de idade, após uma parada cardíaca.

Estátua

Localizada na Praia do Arpoador, a escultura é formada por um banco confeccionado em aço com uma imagem vazada representando a silhueta de Millôr. O escritor sempre dizia que se um dia fosse homenageado, poderia ser com um banquinho de onde fosse possível ver o pôr do sol, e nenhum pôr do sol na cidade é mais famoso e bonito que o do Arpoador.

VOCÊ VAI GOSTAR DE VER TAMBÉM…