Nesta quarta-feira, dia 5 de agosto, é comemorado o Dia Nacional da Saúde. A data foi escolhida em homenagem ao médico e cientista Oswaldo Gonçalves Cruz, devido à sua grande preocupação com a saúde pública, educação sanitária e, principalmente, no combate às doenças transmissíveis. Em 2020, com a pandemia de Covid-19, essa data ganhou contornos de reflexão. 

Para falar mais sobre o tema e reforçar a importância de cuidar da saúde, convidamos a sanitarista da Orla Rio, Suzane Santos. Confira o nosso bate-papo sobre esse assunto tão em alta nos últimos tempos.

 

Qual é a sua formação e o que você faz?

Sou formada em nutrição e pós-graduanda em MBA em gestão da Qualidade e Segurança de Alimentos. Atuo na área de controle de qualidade na Orla Rio, onde funciona como uma consultoria em segurança de alimentos. 

Como é normalmente a rotina de trabalho?

Consiste em uma série de visitas técnicas aos quiosques. Nessas visitas, inspeciono tudo relacionado ao cuidado com os alimentos desde documentação até armazenamento e manipulação. Tudo isso é baseado nas legislações vigentes RDC 216 e o Decreto 45585/2018 – Código Sanitário do Município do Rio. As visitas são preventivas, onde as orientações corretas são passadas para evitar que os quiosques sofram autos de infrações ou interdições dos órgãos fiscalizadores, como a Vigilância Sanitária.

Em geral, os sanitaristas são profissionais que atuam nas questões que envolvem a saúde coletiva. Para você, qual é a importância desta atuação?

O trabalho de uma Nutricionista na área de Segurança de Alimentos é muito importante, pois é através desse trabalho que o estabelecimento pode servir um alimento seguro dentro dos padrões de higiene exigidos, para evitar doenças transmitidas por alimentos. Esse trabalho vem ganhando cada vez mais espaço, pois auxilia os donos de estabelecimentos a como proceder e seguir as normas. Além disso, a preocupação com o tipo de alimento consumido e a aparência do local contam bastante. 

A preocupação com a saúde aumentou significativamente com a chegada da Covid-19, você acha que essa atenção maior é algo que veio para ficar? 

Com a pandemia, o foco na saúde cresceu ainda mais, não só os cuidados de higiene pessoal, quanto os cuidados com os alimentos, os clientes estão mais exigentes, os detalhes não passam despercebidos. E qualquer falha pode significar uma denúncia ou a perda do cliente. Além do cuidado pessoal com a alimentação e a prática de exercícios.

Em razão da pandemia, diversos novos hábitos estão sendo incorporados ao dia a dia das pessoas. Para você, qual é o maior desafio deste período?

Diversos hábitos que antes não tínhamos foram intensificados e pra mim o mais desafiador é não poder abraçar e beijar quem eu gosto. O contato com as pessoas é base da cultura do brasileiro, especialmente do carioca, que está acostumado com festas, encontros, etc.

Hoje (05/08) é comemorado o Dia Nacional da Saúde. Que mensagem você pode deixar para as pessoas sobre esse tema?

E em tempos de pandemia, a mensagem que eu deixo para todos é: Cuidem da saúde, pratiquem exercícios, mantenham uma alimentação equilibrada, sem dietas restritas. E tenham empatia pelo próximo. A humanidade precisa cada vez mais de amor ao próximo e esse período está aí para pensarmos uns nos outros e nos colocarmos no lugar de cada um e saber o que gostaríamos que fizessem conosco.

 

Deixe um comentário

AIzaSyA5tPbYDErzSozNDJ4r7vcHSXTfKEz1oWc