Nesta quarta-feira, 12 de agosto, é celebrado o Dia Internacional da Juventude. E, ciente da importância desta data, a Orla Rio realizou uma super live para debater a #PraiaDoFuturo. O objetivo da iniciativa foi discutir ideias e pensar a realidade que queremos ter no mundo pós-pandemia. O evento começou as discussões com o tema de Esportes e, em seguida, teve início o painel de sustentabilidade. 

Os participantes foram o secretário municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Bernardo Egas, o secretário municipal de Meio Ambiente de Búzios, Duda Tedesco, o presidente do Instituto Lixo Zero, Rodrigo Sabatini e o fundador da Pólen, empresa parceira da Orla Rio no Projeto Recicla Orla, Renato Paquet. A mediação foi realizada pela coordenadora de atendimento na FSB, Sheila Albuquerque.

O painel teve como ponto de partida as “respostas” do meio ambiente ao período de isolamento social, onde ficou claro o quanto o comportamento humano impacta o meio ambiente. Bernardo Egas abriu falando sobre a regeneração das praias, da diminuição do lixo e dos danos causados pela presença humana no meio ambiente. Ele ressaltou a importância de se pensar em como voltar a ocupar esses espaços de modo mais ecológico e consciente. Egas comentou também sobre a importância de incentivar projetos como o Bandeira azul, que promove o desenvolvimento sustentável em áreas de água doce e salgada, desafiando autoridades locais a alcançar altos padrões de qualidade em quatro temas: qualidade da água, gestão ambiental, educação ambiental e segurança. 

O secretário Duda Tedesco completou falando sobre a diferença perceptível da atmosfera da cidade de Búzios, que ficou mais tranquila, possibilitando um “respiro” para as praias. Ele ressaltou que durante o período de isolamento foram retiradas mais de 100 toneladas de lixo das praias e que o projeto Bandeira Azul é o primeiro passo para a construção da praia que queremos para o futuro.

Rodrigo Sabatini enfatizou a questão de diminuição do lixo, promoção do descarte correto e, principalmente, a auto responsabilização de cada pessoa no processo de conscientização. Ele ponderou que todo lixo que chega ao mar vem da terra e a reflexão trazida pela pandemia mostra que as pessoas precisam ter responsabilidade e que todos os setores – turismo, cultura, economia – estão interligados. É o momento para começar a falar em regras e sobre a noção de bem comum para então moldar um mundo melhor.

Ainda sobre a questão da reciclagem, Renato Paquet mencionou alguns desafios, entre eles a necessidade de educar e conscientizar não apenas o consumidor local, mas também os banhistas, aqueles que chegam, utilizam as areias e não tem uma caçamba ali ao alcance. Segundo ele, é necessário fiscalização e institucionalização da reciclagem além de um compromisso constante das autoridades com as políticas de resíduos. 

A mensagem geral que ficou sobre a live foi que é preciso inspirar os jovens, promover mais discussões como estas e levar adiante as ideias que surgem. Rodrigo Sabatini foi cirúrgico ao dizer que não dá tempo de esperar a cultura mudar, o futuro não está pronto a frente, ele é construído e para que isso seja feito todos precisam estar comprometidos com um projeto de comunidade, de cidade, de nação. E cada um, na sua individualidade precisa fazer a sua parte para quebrar a cultura do lixo, do desperdício e da exploração dos recursos. A juventude, é fundamental para isso. 

Ainda hoje teremos lives sobre Turismo e Moda, Cultura, Comportamento, além de um debate final e um super show. Não percam!

Deixe um comentário

AIzaSyA5tPbYDErzSozNDJ4r7vcHSXTfKEz1oWc