O mês de novembro já começou e com ele uma nova ação de conscientização sobre um tema super importante: o câncer de próstata e a saúde masculina. Todos os 27 Postos de Salvamento administrados pela Orla Rio, do Flamengo ao Pontal, estão azuis em adesão à campanha Novembro Azul. A iluminação especial ficará até o final do mês para lembrar a importância do diagnóstico precoce e tratamento do câncer de próstata e estimular os cuidados com a saúde como todo. 

O movimento é feito anualmente com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença, quebrando um estigma de que homens não precisam ter uma rotina de cuidados íntimos. Todos os anos cerca de 1.600 brasileiros têm o pênis amputado por causa do câncer de próstata e a principal causa é a má higiene íntima e a demora no diagnóstico. Além disso, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a doença é o segundo tipo de câncer que mais mata homens no Brasil. 

Vale ressaltar que o câncer de próstata não apresenta sintomas em fase inicial, por isso, quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Alguns desses sintomas são dores ao urinar, vontade de urinar com frequência e presença de sangue na urina e/ou no sêmen.


A melhor maneira de garantir a cura do câncer de próstata é através do diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração verificada no toque retal. 

Para alertar os homens e diminuir as estatísticas do câncer de próstata, o Novembro Azul também reforça a necessidade de fazer a higiene adequada do órgão genital durante o banho, impedindo o acúmulo de secreções. Os bons hábitos devem ser ensinados pelos pais desde a infância. 

Fontes:  Instituto Nacional do Câncer (INCA); Sociedade Brasileira de Urologia.

Deixe um comentário

AIzaSyA5tPbYDErzSozNDJ4r7vcHSXTfKEz1oWc