Réveillon no Rio será “virtual” e sem queima de fogos

Uma das festas mais esperadas por cariocas e turistas, o réveillon do Rio de Janeiro será diferente esse ano por conta da pandemia.  A queima de fogos mais famosa do mundo, na Praia de Copacabana, não vai acontecer, assim como os eventos nos principais pontos do subúrbio da cidade. 

Mas, mesmo com as restrições, a Riotur tranquiliza que a festa da virada vai acontecer, só que sem público, com transmissão pela TV e internet. Os palcos serão montados em locais privados que ainda não foram divulgados, mas, a expectativa é que sejam em pontos turísticos como o Cristo Redentor e o Forte de Copacabana.   

O processo de escolha dos artistas deve acontecer até o fim deste mês e a previsão é de que sejam cerca de 15 artistas distribuídos por esses espaços, todos eles em local privado de acesso restrito.

Segundo Fabrício Villa Flor, presidente em exercício da Riotur, todo o projeto será custeado integralmente pela iniciativa privada, sem a necessidade de aporte público, e foi desenvolvido para ser acompanhado de casa, por meio da televisão e das mídias digitais, visando a proteção da saúde do público.

O evento terá um palco principal, que além de receber os cantores, também abrigará o apresentador da festa. Será deste endereço, ainda não confirmado, que ele chamará os shows dos artistas nos outros locais da cidade. A festa virtual também fará uma grande homenagem às vítimas e aos profissionais que estão trabalhando no combate da pandemia da Covid-19.

Sem fogos, o público poderá conferir um show de luzes e projeções inédito, com iluminação em diferentes pontos da cidade do Rio, além de uma integração, também inédita, com outras cidades do estado do Rio. 

VOCÊ VAI GOSTAR DE VER TAMBÉM…