É chegado o final do verão. Com ele vão também os dias iluminados, as altas temperaturas e a energia que contagia e faz do Rio a capital solar. Mas, infelizmente, esse ano a despedida tem um tom de melancolia, não pelo encerramento da estação que acontece neste sábado 20 de março, mas pelo verão mais atípico da nossa história. Em virtude do agravamento da pandemia de coronavírus em todo o país, este verão termina sem praia. 

A estação já começou sem abraços, com flexibilização do isolamento e a expectativa de melhora no cenário com a chegada de vacinas. A ausência das tradicionais festas de final de ano, em Dezembro, deixou o recado de que este não seria um verão qualquer.

Janeiro chegou e o que era esperança foi aos poucos se tornando preocupação com o crescimento dos números no Rio e o relaxamento dos protocolos por parte da população. Durante a temporada, a Orla Rio realizou algumas ações de conscientização nas praias, orientou quiosques e buscou relacionamento com a população a fim de estimular o uso prudente da orla. 

Diferente dos outros anos, este verão não teve shows, boemia, nem carnaval, a saída de praia, para aqueles que entenderam que o momento ainda é delicado, foi com máscara no rosto e álcool em gel nas mãos. O último ato do verão de 2020/21 é um novo fechamento das praias, em um momento de alta proliferação do coronavírus no Rio de Janeiro e em todo Brasil. 

Diante do panorama difícil, a despedida da temporada favorita dos cariocas tem o mesmo clima de um dia cinzento, apesar do céu azul. Vai o verão e fica o anseio por dias melhores e um outono de renovação: das folhas e da esperança.

Deixe um comentário

AIzaSyA5tPbYDErzSozNDJ4r7vcHSXTfKEz1oWc