Todo ano, no dia 5 de setembro, é comemorado o Dia da Amazônia, um dos patrimônios naturais mais valiosos de toda a humanidade e a maior reserva natural de todo o planeta. A Amazônia tem sete milhões de quilômetros quadrados, sendo cinco milhões e meio de florestas, segundo a WWF (World Wide Fund for Nature – Fundo Mundial para a Natureza). O Bioma Amazônico é fundamental para o equilíbrio ambiental e climático do planeta e, também, para a conservação dos recursos hídricos. 

Mesmo com a sua grande importância ambiental não só para o Brasil, mas para o planeta, a floresta é frequentemente ameaçada por atividades desregulares, como extração de madeira, mineração, obras de infraestrutura e a conversão da floresta em áreas para pasto e agricultura, segundo a WWF. Mas você já parou para pensar: e se a Amazônia não existisse mais? 

No final de 2019, foi divulgado um estudo sobre a Amazônia que reuniu equipes da agência de oceanos e atmosfera dos Estados Unidos e da Universidade de Princeton, que tem um laboratório para estudar o Brasil. Os pesquisadores avaliaram o que ocorreria com a Amazônia se ela fosse completamente destruída. 

Os resultados mostraram que a temperatura subiria até 2,5 graus e o volume de chuvas no mundo diminuiria de 15% a 30%. Os cientistas calcularam que, apesar de o mundo inteiro ser afetado, a região mais atingida seria a América do Sul, já que haveria o dobro do aumento de temperatura com a perda da Amazônia. Além disso, a redução das chuvas provocaria perdas na agricultura e afetaria o volume dos rios. A estimativa é de um impacto enorme na produção de energia elétrica, já que 80% dessa energia vem das hidrelétricas. 

Muitas destas “possíveis” consequências já ocorrem nos dias de hoje, como, por exemplo, a crise hídrica que estamos enfrentando atualmente. Por isso, não devemos esperar para fazer a nossa parte. Salve a Amazônia! Salve o Planeta! 

Deixe um comentário

AIzaSyA5tPbYDErzSozNDJ4r7vcHSXTfKEz1oWc