Rio se une a outras cidades do planeta para lutar contra as mudanças climáticas

O Rio de Janeiro continua lindo: capital entra para lista de 25 mais bonitas do mundo

Rio de Janeiro, juntamente com as cidades de Buenos Aires, na Argentina, e Ahmedabad, na Índia, criou um grupo de trabalho para financiar municípios ao redor do mundo em ações de resiliência que permitam enfrentar as mudanças climáticas. Essa força-tarefa, apoiada por C40 (Grupo de Liderança Climática) e UCLG (Cidades e Governo Locais Unidos), vai preparar recomendações aos chefes de estado do G20, que reúne as maiores economias do mundo. Eles têm encontro marcado para setembro, na Índia. Em 2024, a cúpula será no Rio, em novembro.

O anúncio da iniciativa ocorreu no Urban20 (U20), o encontro das cidades do G20, em Ahmedabad. A cidade do Rio foi representada pelo presidente do Comitê Rio G20, Lucas Padilha, e pelo coordenador municipal de Relações Internacionais, Pedro Spadale. Os participantes do U20 têm grande relevância financeira. Juntos formariam a terceira economia do mundo, atrás apenas de EUA e China. O comunicado final do U20, na Índia, enfatizou a necessidade de avanços significativos na questão do financiamento climático.

O grupo formado por Rio, Buenos Aires e Ahmedabad vai trabalhar em parceria com a Comissão Global para Finanças dos ODS Urbanos, que tem como objetivo reformar o sistema financeiro. O comitê foi lançado, no mês passado, em Paris, pelo prefeito Eduardo Paes. Ele é um dos copresidentes, ao lado da prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo, e do economista Jeffrey Sachs.

A meta das cidades que lideram esse processo de mudança do sistema financeiro é garantir investimento direto e acesso a financiamento internacional essencial para as cidades, especialmente do Sul Global, para que possam cumprir suas ambições climáticas. O fluxo de trabalho se concentrará na formulação de soluções e recomendações específicas sobre como alavancar a reforma dos bancos multilaterais de desenvolvimento para aumentar a disponibilidade e melhorar o acesso ao financiamento climático para as cidades.

Muitas cidades enfrentam dificuldade para a obtenção de crédito financeiro. Os bancos multilaterais de desenvolvimento têm um papel importante, pois podem escalar o apoio a investimentos climáticos urbanos, ao apoiarem mecanismos de compartilhamento de riscos, como doações, financiamento misto e garantias. Dessa forma, as cidades seriam beneficiadas, com a redução de custos de crédito bancário, com o aumento do acesso a empréstimos com boas condições e a atração do financiamento do setor privado.

VOCÊ VAI GOSTAR DE VER TAMBÉM…